Resenha: Ligados Pelo Amor (Stuck in Love)

Stuck-in-Love-Wallpaper-01

 

“As coisas mais importantes são as mais difíceis de dizer” – Stephen King

O filme conta a história de William Borgens (Greg Kinner), um famoso escritor de romances, que se divorciou há 3 anos mas nunca aceitou a separação. Em paralelo a isso, criou seus filhos, Samantha Borgens (Lilly Collins) e Rusty Borgens (Nat Wolf) para se tornarem escritores também, os incentivando a manter diários sobre suas vidas enquanto cresciam.

No entanto, em seus caminhos sempre houve a escrita e o amor. Como diz a personagem de Lilly Collins – que está muito bem no filme, talvez a melhor atuação da atriz – “existem dois tipos de pessoas no mundo: os românticos incorrigíveis e os realistas.” Porém, apesar da postura de durona, uma grande surpresa a espera ao conhecer o tímido, mas decidido, Lou (Logan Lerman), seu companheiro de faculdade, escritor e que a conquista com simples conversas sobre livros, músicas e programas favoritos.

Já, o romântico incorrigível, Rusty, é apaixonado por uma menina de sua sala, mas como sempre foi tímido e envergonhado, nunca teve coragem de expressar seus sentimentos, porém é impulsionado por seu pai a fazer isso. Segundo ele, ” um escritor é a soma de suas experiências.” Por isso, vale a pena arriscar e mergulhar no que desejamos sentir.

É lógico, que entre os romances, encontramos discussões relevantes sobre a família, e até drogas – apesar da forma nada clichê com que o tema é abordado no roteiro. “Ligados Pelo Amor” é um filme para se apaixonar, se deliciar, acreditar em segundas chances, e se inspirar, sempre se inspirar nas histórias da vida para escrevermos as nossas próprias.

O roteiro é envolvente, faz as pessoas refletirem diante da tela, criando vontades adormecidas em nós, os corações realistas. Há muito tempo não assistia a um filme tão cativante, com atuações leves e grandes emoções. É impossível não se apaixonar pela vida desses personagens que vivem de fazer histórias.

(Carolina Michels)

10 filmes independentes que você não pode deixar de assistir

  1. The First Time (2012): “Eu não sei muito sobre relacionamentos e definitivamente não sei nada sobre o amor.” Romance dirigido por Jon Kasdan e protagonizado por Britt Robertson e Dylan O’brien. O filme conta a história de dois adolescentes, Dave (Dylan) que é apaixonado por uma garota que não pode ter e Aubrey (Britt), uma garota criativa que namora um cara que não a entende. A história de passa em um final de semana onde os dois se conhecem do lado de fora de uma festa e começam a conversar sobre como ele deveria se declara para a amiga que só o vê na “friendzone”. O diferencial do filme é que não trata os jovens como bobos e sim com uma profundidade legal sem nunca perder a leveza de ser um adolescente.
  2. The Spectacular Now (2013): “A melhor parte de viver no presente é saber que você tem outro hoje amanhã.” Comédia dramática dirigida por James Ponsoldt e protagonizada por Shailene Woodley e Miles Teller. Sutter Keely (Miles) é um adolescente despreocupado que só se importa em viver o presente. Nunca terminou os estudos, adora festas e bebidas. Quando um dia é rejeitado pela namorada, toma um porre e acorda no meio de um gramado onde encontra Aimee Finicky (Shailene), uma garota solitária, fã de ficção científica e revistas em quadrinho. Nasce então uma relação improvável entre os dois, ele a ajuda a se sentir desejada e ela o ajuda a descobrir os mistérios dele mesmo e de sua família.Porém, o filme não romantiza o relacionamento dos personagens de uma forma irreal. É simplesmente uma das maiores lições de vida de todos os tempos, todos nós deveríamos usar 2 horas do nosso tempo para assistí-lo.
  3. As Vantagens de Ser Invisível (2012): “Por que as pessoas boas escolhem as pessoas erradas? Porque nós aceitamos o amor que achamos que merecemos.” Comédia dramática dirigida por Stephen Chbosky e protagonizada por Logan Leerman, Emma Watson e Ezra Miller. O filme conta a história de Charlie (Logan), um menino que tem dificuldades em interagir na nova escola se sentindo deslocado no ambiente, quando finalmente conhece Patrick (Ezra) e Sam (Emma) que lhe apresentam um mundo novo. A narrativa é contada em formato de relato pelas cartas de Charlie ao seu amigo que morreu. Além disso, algumas temáticas típicas da adolescência como a Depressão e relacionamentos conturbados são trabalhados de forma sensível no filme. E, é claro, o longa conta com uma das melhores trilhas sonoras de todos os tempos com The Smiths, David Bowie, New Order…
  4. Juno (2007): Comédia/Drama dirigido por jason Reitman e protagonizado por Ellen Page, Michael Cera e Jennifer Garner.  Juno (Ellen) é uma adolescente de 16 anos que engravidou ao transar pela primeira vez com o melhor amigo Paulie (Michael). Inicialmente, a menina pensa em abortar mas acaba mudando de ideia e passa a cogitar a ideia de adoção como a melhor solução para o seu caso. Assim, ela e a melhor amiga Leah (Olivia Thirlby) começam a procurar possíveis casais para adotar o bebê. É Assim que conhece Vanessa (Jennifer) e seu marido que estão dispostos a bancar os gastos de Juno com o bebê até o fim da gravidez. O filme venceu o Oscar de melhor roteiro adaptado e foi indicado em mais três categorias incluindo melhor filme. Ah, é claro, de brinde tem uma trilha sonora deliciosa. 
  5. Aos Treze (2003): Drama dirigido por Catherine Hardwicke e protagonizado por Nikki Reed e Evan Rachel Wood. O enredo se baseia na história de Tracy (Evan), uma adolescente inteligente e excelente aluna que sempre teve uma vida perfeita até conhecer Evie (Nikki), a garota mais popular do colégio que lhe apresenta um mundo de sexo, drogas e automutilação. Nessa nova vida, Tracy começa a entrar em conflito com sua família, seus professores, e principalmente sua mãe. O filme ainda conta com a participação da então estreante Vanessa Hudgens no papel de uma das antigas amigas de Tracy.
  6. Eu e As Mulheres (2007): Comédia dirigida por Jon Kasdan e protagonizada por Adam Broody, Kristen Stewart e Meg Ryan. O filme conta a história de um jovem escritor, Carter Webb (Adam) que brigou com sua namorada, uma famosa atriz de Hollywood. Assim, começa a enfrentar alguns problemas criativos e decide se mudar para o interior de Detroit onde mora sua avó. Lá, ele conhece uma família de mulheres interessantes e complexas e começa a se envonvolver com a história delas.
  7. Férias Frustradas de Verão (2008): Comédia que se passa no verão de 1987 dirigida por Greg Mottola e protagonizada por Jesse Eisenberg, Kristen Stewart e Ryan Reynolds. O filme conta a história de James Brennan (Jesse) que acaba de se formar na faculdade e sonha em ter as melhores férias na Europa. Porém, sem dinheiro para a viagem, o recém-formado começa a trabalhar no parque de diversões Adventureland onde conhece Em Lewin (Kristen), uma garota diferente que não se importa com a opinião dos outros e leva uma vida complicada em casa.
  8. Waiting For Forever (2010): Drama dirigido por James Keach e protagonizado por Rachel Bilson e Tom Sturridge. O filme conta a história de Emma (Rachel) e Will (Tom) que perderam o contato ainda na infância, quando eram amigos. Ela seguiu em frente. Ele jamais a esqueceu. Quando Emma volta para a cidade onde cresceram Will faz de tudo para não deixá-la partir. A história porém é surpreendente graças à peculiaridade do personagem de Tom Sturridge e da maneira como o enredo é conduzido.
  9. Tudo Acontece em Elizabethtown (2005): A comédia dramática dirigida por Cameron Crowe e protagonizada por Orlando Bloom e Kirsten Dunst conta a história do jovem Drew Baylor (Orlando) que causa um prejuízo em uma milionária companhia de esporte americana e é demitido por isso. Porém, a situação já não estava ruim o suficiente, e Drew recebe uma ligação de sua irmã informando do falecimento do pai em Elizabethtown. No vôo para a cidade, ele conhece a aeromoça Claire Colburn (Kirsten) que lhe dá uma nova visão do mundo e do futuro.
  10. 500 Dias Com Ela (2009): Comédia/Drama romântico dirigido por Marc Webb e protagonizado por Joseph Gordon-Levitt e Zooey Deschanel. O filme parte de uma narrativa alinear subjetiva pelo ponto de vista de Tom (Joseph), um arquiteto formado que trabalha em uma loja de cartões em Los Angeles onde conhece Summer (Zooey), a nova assistente de seu chefe. Porém, diferente dos típicos romances americanos, Tom não é o babaca que parte o coração de Summer, e ela não é a donzela em defesa da história, tornando assim o final muito mais surpreendente e a história eletrizante.

(Carolina Michels)

Resenha: Quem é você, Alasca? – John Green

102_3838

Muitos podem apenas conhecê-lo por ‘A Culpa é das Estrelas’, mas seu primeiro romance foi ‘Quem é você, Alasca?’ . John Green começou com um livro extremamente cativante, marcando a sua entrada nos corações de muitos leitores.

Miles Halter é um menino fascinado por últimas palavras e biografias. E foi na biografia de François Rabelai que achou as últimas palavras que o guiaram para uma vida fora da Flórida e da sua falta de amigos : “Saio em busca de um Grande Talvez”.  A caça pelo Grande Talvez o levou para o colégio interno que seu pai estudou e para momentos inesquecíveis.

Em Culver Creek, Miles se torna Gordo, apelido dado por seu colega de quarto, Chip Martin, ou melhor, o Coronel, aquele que foi seu primeiro amigo na nova escola e o apresentou a Takumi e Alasca. Miles percebe que Alasca é diferente das outras quando a conhece. Ela, um tanto quanto ousada e impulsiva e ele, disposto a abraçar as novidades que apareceram com os novos amigos. Alasca consegue conquistar os pensamentos de Gordo à primeira vista. Sua beleza, audácia e seu mistério o envolvem como fariam com qualquer aluno novo que havia feito poucas coisas na vida e por conseguinte, era novo em muitos assuntos. Além de seus novos amigos, Gordo também conhece um professor que cria muitos questionamentos existenciais tanto para o personagem quanto para o leitor.

O livro mostra a vida de um adolescente que decidiu mudar e encontrou muito mais do que imaginou,que se apaixonou, que foi mudado por uma única pessoa e pelas experiências que ela o proporcionou, que aprendeu com a dor e que achou o modo de sobreviver nesse labirinto que vivemos. Por todos esses acontecimentos, é fácil se tornar o personagem e participar de todas as fugas, primeiras vezes, pensamentos, tensões e felicidades.

“Se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.”

(Jessica Almeida)